• Silvio Bianchi

Mapa para transitar BEM o 2021

Atualizado: 15 de Dez de 2020

Imagine ir dirigindo numa estrada e, do nada, aparece um banco de neblina. Sua visibilidade se reduz drasticamente, apenas enxerga uns poucos metros à sua frente, precisa ligar o farol de neblina. Além de reduzir a velocidade do carro, redobra sua atenção na estrada, diminui o volume do rádio (isso cria uma distração a menos) e, se tiver acompanhantes, pede para falarem mais baixo.


Todas essas medidas fazem parte das regras básicas da direção segura. O princípio geral reza: quando as condições na estrada pioram, tome as medidas adequadas à situação para evitar acidentes.


Ultrapassada a dificuldade, aumenta a velocidade do carro, desliga o farol de neblina e, também, aumenta o volume do rádio e das conversas (se tiver companhia). Tudo volta ao normal!


Fazendo uma analogia com a nossa vida, existem regras de direção segura para atravessar o ano 2021? Existe um mapa para nos direcionar no 2021 em relativa segurança e ficarmos preparados para possíveis bancos de névoa?


Nessa estrada, nós somos o veículo e a forma em que administrarmos nossos recursos nos ajudará, ou não, a atravessar os bancos de neblina que fogem do nosso controle (a pandemia, uma demissão sem justa causa, um acidente ou uma doença, por exemplo) e, também, aqueles que criamos ao gerir de forma errada nossos recursos (gastando mais do que se recebe, endividamento, consumo desmedido, não ter uma reserva financeira, dentre outros).


O mapa para percorrer o 2021



A rota se inicia com uma pergunta básica: Aonde quer chegar no 2021? Sem saber aonde queremos chegar, qualquer caminho serve, sabia? Portanto, pare, respire e pense no que realmente quer para você e os seus.


Selecionei duas matérias que lhe ajudarão a pensar nesses objetivos: - Passos para realizar seus propósitos; - Emoções que ajudam a alcançar seus propósitos.


A partir dessa pergunta, o SIM ou o NÃO lhe indicarão o sentido do seu percurso até a seguinte pergunta.


Este é um roteiro demorado, portanto tome-se seu tempo para responder a cada pergunta. Você perceberá que o mais importante é o percurso, não a velocidade para percorrê-lo.


Alguns termos que vale a pena esclarecer para poder fazer o percurso sem percalços:


Despesas de acordo com o que recebe? [1]

Se, após fazer uma análise bem detalhada das suas despesas e dos seus rendimentos, responder SIM, você vai virar para o lado da Reserva Emergencial (Reserva Financeira) e se NÃO virará para a reorganização das suas despesas.


Reserva Financeira: também conhecida como “Reserva Emergencial” é o colchão financeiro para ser utilizado em situações extraordinárias (perda ou diminuição de fonte de renda; emergência de saúde; reparo emergencial). O montante da reserva deveria cobrir de 6 (seis) a 12 (doze) meses de despesas fixas básicas (aluguel, condomínio, água, luz, gás, alimentação, plano de saúde, educação, transporte).


Reservas para sonhos/propósitos: A base de uma boa gestão dos recursos financeiros está em guardar primeiro e gastar depois. Crie uma reserva com o nome de cada propósito. Assim, você poderá controlar melhor quanto já juntou e quando acumulou o valor total desse objetivo. Sonhe – Junte – Compre – Não se endivide!


Reserva para aposentadoria: Para a maioria das pessoas, a remuneração a ser recebida pelo INSS será sensivelmente inferior ao salário de atividade. Portanto, essa reserva servirá para complementar a aposentadoria oficial. Participar de um fundo de pensão é a melhor forma para criar essa reserva.


Reorganizar suas despesas: Aqueles que gastam mais do que recebem devem readequar seu consumo de forma de gastar menos e, mínimo, conseguir criar uma reserva financeira.


Novo saldo mensal positivo: É consequência da reorganização das suas despesas. Gastando menos do que se recebe se tem um saldo mensal positivo. A diferença se utiliza para a “Reserva Financeira”, para a “Reserva de Aposentadoria” e para a “Reserva para propósitos”.


Parcela de dívidas: são os valores mensais que se pagam pelas compras já efetuadas e não foram pagas à vista. Também se incluem as parcelas de empréstimos e financiamento pela compra de casa ou carro. Essas parcelas são pagas com os mesmos rendimentos que se pagam as despesas mensais.


E, por último: Está aguardando o quê? Se ao responder a primeira pergunta precisou virar no sentido da reorganização das suas despesas, não demore para entrar em ação!


Quanto mais rápido agir para equilibrar suas despesas com seus rendimentos, menor será seu endividamento e a situação será resolvida de forma mais rápida.


Se precisar de ajuda para retomar o controle das suas finanças, BEM financeiro criou o BEM Agora, um processo rápido que, com o apoio de profissionais experientes, o ajudará a determinar seus objetivos, reorganizar suas despesas e iniciar o caminho até sua liberdade financeira.


Não demore para entrar em ação! Agora tem a oportunidade para que sua vida financeira fique BEM mais fácil.

---

Silvio Bianchi é Pós-graduado em Educação e Coaching Financeiro, Contador Público, Master Coach, Coach Financeiro, Treinador e Palestrante. Cofundador de Bem Financeiro – Desenvolvimento em Finanças, responsável pelo escritório em São José dos Campos.

[1] Alguns artigos que lhe ajudarão a responder essa pergunta: - Como cuidar do seu dinheiro na prática! - Três passos para superar o endividamento - Passos para realizar seus propósitos - O que fazer quando se está muito endividado Tem muitos mais artigos disponíveis no Blog do BEM. Confira!

© 2018 por Bem Financeiro. Criado por Nave Estúdio Criativo