top of page
  • Foto do escritorSilvio Bianchi

Bem-estar financeiro dos colaboradores. Como conhecer?

Atualizado: 4 de mai. de 2023

A nível nacional, o primeiro cuatrimestre de 2023 finalizou com um recorde preocupante: no mês de abril/2023, 78,3% das famílias relataram estar com dívidas. No ano anterior, essa percentagem era de 77,7%. [1].


O endividamento impacta de forma negativa a saúde física e emocional das pessoas, seu desempenho no trabalho e os relacionamentos. Noites mal dormidas, estresse, falta de concentração, irritabilidade, baixo desempenho profissional, são algumas dessas consequências.


Devo, não nego, mas ninguém deve saber!


As pessoas não ficam à vontade para falar abertamente do dinheiro e sobre os desafios para administrar seus rendimentos. Ter dificuldade para gerir seus rendimentos é sentido como muito negativo.


A maioria prefere recorrer à “automedicação financeira” (contratar novos empréstimos) do que fazer uma consulta formal com um especialista. A consulta técnica é realizada quando a situação ficou fora de controle e já não se enxergam outras opções.


Como o RH pode ajudar aos seus colaboradores?

Além do baixo desempenho, problemas no relacionamento com colegas, erros e acidentes, existem outros sintomas que podem servir de alerta:

  • Renovação permanente de empréstimos consignados;

  • Pedidos de adiantamento de férias;

  • Pedido de vales e adiantamento do 13º salário;

  • Pedidos de demissão sem justa causa, “para receber a multa e retirar o FGTS”;

  • Pedidos para depositar o salário em um banco diferente ou receber com cheque.

Devido a que as pessoas se sentem constrangidas ao abordar este tema e à “automedicação financeira”, o departamento de RH percebe os casos financeiros críticos, mas não consegue saber se são pontuais ou se um grupo considerável de colaboradores está enfrenando esses desafios.

Pesquisa do bem-estar financeiro dos colaboradores


O objetivo da pesquisa é conhecer o nível de bem-estar financeiro dos participantes e os principais desafios financeiros que enfrentam no seu dia a dia.


Devido aos constrangimentos já relatados, à falta de educação financeira e ao temor do colaborador de “perder pontos frente ao RH” por estar vivenciando esses desafios, vale a pena que a pesquisa seja conduzida por uma empresa externa à organização.


Principais características da pesquisa:

  • Anônima.

  • Perguntas fáceis de serem compreendidas.

  • Linguagem simples (nada de “economês”).

  • Máximo, 12 perguntas.

  • Máximo, 3 opções de resposta.

  • O relatório final não identificará aos participantes.

  • Quem preencher a pesquisa poderá participar de uma palestra que aborde o tema: cuidado das finanças pessoais.

Destaco este último item, pois quem preenche a pesquisa deve receber uma compensação pelo tempo dedicado a responder. Nada melhor do que oferecer uma palestra de sensibilização sobre a gestão dos recursos financeiros pessoais.


Benefícios de fazer a pesquisa de bem-estar financeiro


Para os colaboradores:

  • Mostra o interesse da empresa em conhecer os desafios que o colaborador enfrenta fora da empresa;

  • Aumenta seu engajamento;

  • Encurta o “distanciamento” entre contratante e contratados, pois a organização demonstra seu interesse de conhecer quais desafios “além dos profissionais”, seus colaboradores enfrentam.

Com relação à empresa:

  • Estimulando respostas verídicas e sinceras, conhece o nível de bem-estar financeiro dos participantes;

  • Colhe informações importantes para utilizar dentro dos programas de well-being, saúde emocional e responsabilidade social;

  • As informações colhidas servem como base para desenhar programas específicos às necessidades dos colaboradores.

Muitas organizações cuidam do bem-estar dos seus colaboradores oferecendo programas de benefícios (descontos na compra de bens e serviços).


Esta ação é positiva, mas não é suficiente. Colaboradores com pouco autocontrole, podem ser estimulados a "aproveitar os descontos", a comprar utilizando o crédito e seu endividamento aumentar.


Realizar a pesquisa de bem-estar financeiro tem seus impactos positivos, pois permite desenvolver programas específicos de educação financeira (atendimentos pessoais/familiares, oficinas e cursos).


O BEM-estar financeiro dos colaboradores é o nosso plano!

[1] PEIC – abril/2023: https://www.portaldocomercio.org.br/publicacoes/pesquisa-de-endividamento-e-inadimplencia-do-consumidor-peic-abril-de-2023/477679


---

Silvio Bianchi é Contador Público, Pós-graduado em Educação e Coaching Financeiro, Master Coach, Coach Executivo e de Carreira, Coach Financeiro, Treinador e Palestrante. Cofundador de Bem Financeiro – Desenvolvimento em Finanças, é responsável pelo escritório em São José dos Campos (SP).

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page