• Adenias Filho

Você sabe para onde está indo o seu dinheiro?


Gastos inconscientes afetam nossa prosperidade financeira.


Temos acompanhado com detida atenção o comportamento financeiro de muitas pessoas não somente por aquelas que nos procuram em busca de orientação, como também pela observação no cotidiano de certas atitudes de muitos, tipo, “deixa a vida me levar vida leva eu...”, deixando sempre para depois um olhar para onde seus ganhos são direcionados.


Não são poucos aqueles que após diálogo sobre o funcionamento do dinheiro em nossas vidas, percebem que estão totalmente desfocados de qualquer tipo de atenção ao fluxo financeiro pessoal ou da família.


Pequenos valores cobrados pelos bancos com débito em conta corrente, por

administradoras de cartão de crédito e outras taxas ou serviços cobrados nos planos de prestação de serviços públicos, como TV a cabo ou telefonia, nem sempre são questionados pelos consumidores, mas que somados, esses pequenos montantes anualmente, podem representar o valor de algo que tivesse a intenção de adquirir, bens ou serviços, e que não o fazem sob o argumento de que o dinheiro está sempre curto.


Neste momento, sem nos deter há situações em que serão necessárias ações radicais para solucionar graves problemas de endividamento, que assola significativa parcela da população a um bom tempo, agravada vertiginosamente no cenário atual, chamamos a atenção, no sentido de que pequenas atitudes poderão representar a realização de propósitos nunca antes imaginados.


Lembramos sempre que planejamento financeiro, não significa tirar o prazer de gastar na aquisição de bens ou serviços, mas sim estabelecer propósitos que poderão ser de curto, médio e longo prazo, e dar um significado ao direcionamento da recompensa pelo tempo dedicado na geração de renda, ou seja, salvar dinheiro para alcançar a independência financeira ainda gozando de plena vitalidade.


Uma parada, com atenção focada em todos os descontos que sofremos no contra cheque (holerites), extratos bancários, extrato do cartão de crédito, contas de serviços públicos além dos gastos no dia a dia, com certeza poderá ser identificado um baú de pedras preciosas mal avaliadas, mas, de incomensurável valor.


Estabelecer metas ou limites para determinados gastos e realizar seu acompanhamento com disciplina, fatalmente, a lapidação de suas pedras preciosas poderão estar em curso para o alcance de uma vida financeira mais saudável e promissora, impactando nos diferentes aspectos da vida familiar.


By

Adenias Filho


Formado em Administração de Empresas, Pós Graduado pela FGV-RJ, IBMEC em Finanças Corporativa e Amana-Key em Gestão Empresarial. Consultor Financeiro, Palestrante e Cofundador do BEM Financeiro - Desenvolvimento em Finanças.

0 visualização

© 2018 por Bem Financeiro. Criado por Nave Estúdio Criativo