• Silvio Bianchi

Ticket Restaurante e Vale Alimentação. Vender ou não vender?

Atualizado: Set 14



Uma pesquisa do SPC Brasil e a CNDL mostrou que 4 em cada 10 beneficiários de Vale ou Ticket Refeição/Alimentação, costumam vender esse benefício. As justificativas: 44% agem assim para pagar contas; 36,5% com o objetivo de fazer compras e 21% fazem isto com o propósito de guardar dinheiro[1].


Apesar de esta prática ser considerada estelionato e justificar demissão por justa causa, somente 75% dos que fazem isto acreditam que é uma prática proibida. Mesmo assim, quase a metade deste grupo acredita não existir problemas na venda.


Além de desconhecimento das regras básicas para a utilização deste benefício, esta atitude mostra importante falha na gestão dos recursos, junto com a busca de soluções imediatas sem avaliar/pesquisar os riscos associados.


É necessário vender o vale refeição/alimentação para equilibrar o orçamento mensal? A resposta é não!


AB (uma cliente que não será identificada), saiu com a sua mãe. Colocou a carteira na bolsa dela e esqueceu de retirá-la. No dia seguinte sua mãe viajou e ela ficou sem carteira (dinheiro, cartão de crédito/débito e cartão alimentação) por uma semana. Somente ficou com as chaves de casa e do carro, com a carteira de motorista e os papeis do carro.


A primeira reação seria sair correndo atrás da mãe para resgatar a carteira e não passar fome, mas não foi o que ela fez!


“Esta situação inesperada me obrigou a fazer coisas diferentes, e os resultados foram ótimos! Em vez de almoçar fora da empresa, levei comida de casa; também aproveitei para levar frutas, que nunca levava. Comecei a frequentar o refeitório da empresa, onde temos todas as comodidades para aquecer a comida, e a interagir com outras pessoas. Resultado: não gastei com almoços fora, me alimentei melhor e ampliei meus relacionamentos. Agora vou gerir de forma diferente meu vale refeição!”


Como fazer para aproveitar ao máximo o benefício do vale refeição/alimentação?


- Existe a opção de almoçar na empresa, levando comida de casa? Será mais barato do que comprar comida fora.


- Não tem tempo de preparar seus alimentos durante a semana? Invista umas horas durante o final de semana e deixe refeições preparadas no freezer.


- Vai comer fora da empresa? Provavelmente, na região da sua empresa deve haver várias opções. Procure aquela que se adapte melhor aos seus recursos. Dica: não precisa seguir à “manada” (seus demais colegas). Seguramente, a maioria não cuida bem dos seus recursos.


- Não ceda à tentação de trocar alimentação por combustível. Muitos postos de serviço aceitam o vale refeição/alimentação para pagar combustível. A alimentação do seu carro é um item diferente!


- Não venda seus créditos. As empresas que compram os créditos do vale alimentação/refeição ficam com uma percentagem do valor (entre 15% e 20%). Até que a taxa de juros do cheque especial é menor!


- Se cuidou bem do recurso e chegou ao fim do mês com saldo, aproveite esse valor para sair com a família (ou diminuir o valor a ser pago na compra de supermercado).


Sempre existem opções “legais”, porém mais trabalhosas, para utilizar o benefício do vale alimentação/refeição. Bom apetite!



[1] Quatro em cada dez brasileiros que vendem vale-refeição usam valor para pagar contas, apontam CNDL/SPC Brasil. https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas/pesquisa/5943)

--- Silvio Bianchi é Pós-graduado em Educação e Coaching Financeiro, Master Coach, Coach Financeiro, Treinador e Palestrante. Cofundador de Bem Financeiro – Desenvolvimento em Finanças, é responsável pelo escritório em São José dos Campos.

450 visualizações

© 2018 por Bem Financeiro. Criado por Nave Estúdio Criativo