top of page
  • Foto do escritorEdward Claudio Jr

De BEM com suas finanças – Como relacionar-se com o dinheiro e ter melhor qualidade de vida.

Muitas pessoas não tem o dinheiro como objetivo de vida e estão certas, pois o dinheiro é o meio para realizar seus sonhos e ajudar a superar crises em momentos de dificuldades e não um fim.


Vivencio todos os dias o que uma situação financeira difícil pode impactar a vida de uma pessoa, trazer inquietação, baixa autoestima, conflitos na família, baixa produtividade entre outros.


A OMS (Organização Mundial da Saúde), considera que o ser humano tem cinco saúdes: a física, a mental-espiritual, a familiar, a social e a financeira.


A saúde financeira pode não ser a mais importante, mas com certeza impacta nas outras saúdes. Hoje não é difícil encontrar pessoas endividadas e que estão abaladas emocionalmente. As dívidas tiram a paz e o autocontrole dos indivíduos. E os desdobramentos vão mais além, interferindo na parte física, nos relacionamentos familiares e sociais.


Por isso, atualmente muitas empresas, através do departamento de RH, estão desenvolvendo programas de Educação Financeira para os seus colaboradores. Muito ainda precisa ser feito, mas já estamos colhendo os frutos de ações deste tipo, na qualidade de vida dos colaboradores e familiares. As pessoas que participam destes programas, enxergam soluções que antes não viam e começam a fazer novas ações o que aumenta a autoestima para vencer os grandes desafios. Quando estamos no meio da tempestade, achamos que não há solução.


O segredo do sucesso financeiro está em manter o equilíbrio em todos os momentos, sejam nas horas difíceis ou não. E isto pode ser conquistado com a mudança de hábitos e costumes através da educação financeira.


Imagem: Pixabay


Mas afinal, quais são as ações e comportamentos que devemos desenvolver para ficar BEM com as finanças? Vou destacar o que a minha experiência de vida e nos atendimentos realizados com muitas pessoas e famílias, me mostraram ser mais assertivas. Vamos em frente:


1. Defina seus sonhos e propósitos de vida. É fundamental estabelecer as suas prioridades a fim de ter “um porque” claro, que mostre o que realmente é importante para você e família. As pessoas que não tem seus objetivos definidos, tem mais dificuldade de guardar dinheiro e maior propensão de gastá-lo com coisas que farão pouca ou nenhuma diferença na vida.


2. Selecione pelo menos três propósitos que deseja realizar, um a curto prazo, outro a médio e um terceiro de longo prazo. Quando falamos de prazos, temos: curto prazo, até um ano; médio prazo, de um a cinco anos e longo prazo, acima de 5 anos. Oriento a escolher três propósitos que você deseje muito realizar, que faça a diferença na sua vida, lhe proporcione satisfação e bem estar. Assim, você terá motivação e principalmente disciplina para fazer os próximos passos.


3. Verifique quanto custam cada um destes sonhos e comece a guardar/investir todos os meses um valor para realizá-los conforme o prazo desejado. Se no primeiro momento o valor que poderá guardar não permita a realização no prazo desejado, comece com o valor que pode poupar, não desista. É melhor adequar o prazo de realização do que desistir do sonho. Acredite muitas realizações começaram com pequenos passos.


4. Pague-se em primeiro lugar. Quando receber os seus rendimentos mensais, já separe o valor dos sonhos e invista. Não deixe para poupar o valor no final do mês, se sobrar depois de pagar as contas. Provavelmente não vai sobrar ou você guardará menos do que o planejado. À partir de agora seus sonhos são prioridade, ou não são?


5. Faça um orçamento mensal. O orçamento vai trazer mais consciência para onde está indo o seu dinheiro. Está ação vai proporcionar um melhor controle da sua vida financeira, evitando desperdícios e colocando metas em algumas despesas que você tem mais autonomia. A maioria das pessoas que estão endividadas não fazem nenhum tipo de controle e até já tiveram orçamentos montados, mas que foram deixados de lado em algum momento. E não esqueça, os seus sonhos devem estar dentro do seu orçamento. Afinal, você quer ou não realizá-los?


6. Gaste menos do que recebe. Este hábito é vital para a sua sustentabilidade financeira e principalmente para realizar seus sonhos. Quem gasta mais do que ganha, geralmente paga juros e quem paga muitos juros, realiza menos sonhos na vida. É salutar desejar um padrão de vida melhor, mas sempre respeitando a sua renda mensal.


7. Educação Financeira continuadamente. Quanto mais acesso a informações relevantes, mais assertivas serão as suas escolhas e comportamentos financeiros. Leia livros, assista palestras e participe de cursos para ampliar o seu conhecimento. E sempre invista no autoconhecimento, para entender como você toma as decisões e como aprimorá-las.


“Mas e se estou endividado, como pensar nos meus sonhos? Como guardar dinheiro para realizá-los?” Está é uma pergunta que ouço frequentemente. E tem saída pra isto. Por pior que possa parecer a sua situação de endividamento, existem caminhos que se trilhados, vão colocar você novamente na estrada da prosperidade e da realização dos seus sonhos.


O primeiro passo é definir a questão do endividamento como um dos seus propósitos e colocar as ações acima em prática. Para alguns, sair do endividamento pode ocorrer no curto prazo, para outros no médio ou longo, mas não procrastine as ações necessárias para efetivamente retomar o controle da sua vida financeira e não ficar escravo dos juros. Desafios e sacrifícios estarão nesta jornada, mas tem uma frase de Bill Gates, que sempre me motiva: “O sucesso é uma conquista diária”.


Faça o que precisa ser feito e com certeza estará colhendo os benefícios destas ações, mais cedo ou mais tarde.


Reflita, se as suas últimas decisões financeiras estão resolvendo a questão do endividamento ou se a situação está cada vez mais complicada? O que você pode fazer diferente a partir de agora? Não deixe para depois o que pode começar a fazer agora. Priorize os seus verdadeiros propósitos de vida. Assuma o controle de sua vida financeira e supere todos os obstáculos e desafios. Se precisar, nós do BEM Financeiro estamos à sua disposição para ajudar.


E todos estes passos estão dentro do Método do BEM (Base Orçamentaria + Evolução Patrimonial e Mapa do Futuro), três pilares que auxiliam as pessoas a conquistarem seus sonhos e a independência financeira. Este método é fruto de muitos anos de experiência, prática e acompanhamento de pessoas e famílias.


Edward Claudio Júnior é Pós-graduado em Educação Financeira, Coach Financeiro, Palestrante e Treinador Comportamental. Cofundador do BEM Financeiro – Desenvolvimento em Finanças, responsável pelo escritório em São Paulo.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page