• Adenias Filho

Como harmonizar sua vida e prosperar nas finanças!


Imagem: Klimkin por Pixabay


Além de todas as dificuldades impostas pelo isolamento social, vivemos uma série de novas preocupações. A correria do dia a dia teve que ceder lugar a novos hábitos, e alguns valores estão sendo redimensionados: estar com a família e cuidar mais da saúde em todas as dimensões e certamente, cuidar da saúde financeira da família ficou cada vez mais importante.


Neste momento de avanço tecnológico, sem precedentes na história, somos impactados por diversas mídias sociais, cartões virtuais, crédito fácil, além dos Apps de toda ordem fomentando os desejos humanos para o consumo encurralando as famílias para gastos exacerbados e, numa grande maioria da população, para o endividamento.


Passa longe de nossos olhares os pequenos gastos ou gastos invisíveis que ao longo do ano, quando somados poderão representar valores que poderiam ser destinados a algo mais prazeroso junto a família, como uma viagem, um final de semana num bom hotel ou pousada, ou destinado a um curso de formação que poderá gerar oportunidade para nova fonte de renda.


Os pequenos gastos ou gastos invisíveis poderão estar embutidos:


a) em certos contratos de financiamento, empréstimos e renegociações de dívidas apressadas;

b) taxas elevadas de manutenção de contas correntes bancárias;

c) taxas envolvendo investimentos;

d) taxa de administração de cartões de crédito;

e) seguros para eventos de baixo risco;

f) títulos de capitalização;

g) débitos de valores em conta corrente que julgamos normais sem questionamento;

h) planos Combos de telefonia, internet e TV sem revisão periódica comparativa com os de outras operadoras;

i) banhos demorados consumindo gás ou luz;

j) excesso de aparelhos domésticos conectados no “stand by” elevando os gastos com energia elétrica;

k) compras de bens, serviços e gêneros alimentícios em excesso somente por estar em promoção e próximo de sua validade;

l) etc.


Uma simples reformulação da maneira como pensamos e agimos no gastar o dinheiro poderá não somente elevar o padrão de gastos com coisas mais úteis no dia a dia como antecipar períodos de maior satisfação e realização de propósitos com a família, fortalecendo os vínculos entre todos.


A maneira mais indicada para alcançar a harmonia financeira na família precede de plena compreensão dos fatores que distinguem os desejos entre as necessidades, ou seja, gastos essenciais que contribuem fundamentalmente para a geração continue de bem-estar e evolução patrimonial.


O permanente diálogo em família, com a máxima franqueza, sobre o dinheiro em diferentes enfoques contribuirá para eliminar ruídos na comunicação e desconfortos emocionais que pairam no comportamento humano no trato desse relevante tema direcionando as renovadas concepções da mais valia sobre o dinheiro.


A criação de novos hábitos de consumo com maior consciência não somente fará bem ao bolso, na realização pessoal, nos relacionamentos sociais e, essencialmente, para a sustentabilidade do planeta e gerações futuras, tornando-se um legado essas ações.


Autor: Adenias Filho

Cofundador do BEM Financeiro - Desenvolvimento em Finanças. Formado em Administração de Empresas, Pós-graduado pela FGV-RJ, IBMEC em Finanças Corporativa e Amana-Key em Gestão Empresarial. Consultor Financeiro e Palestrante, responsável pelo escritório do BEM Financeiro no Rio de Janeiro.

47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo