• Adenias Filho

Como alcançar excelentes resultados financeiros com pequenas mudanças.



São raras as ocasiões que paramos para avaliar minuciosamente o nosso desempenho financeiro, quer seja, pessoal ou familiar, não somente quanto a uma única fonte de renda (como na maioria dos brasileiros) ou de outras de diferentes origens de negócios.

É comum também termos baixa ou nenhuma atenção para com os gastos, quiça sobre a evolução patrimonial (= bens + direitos - obrigações).


Este comportamento, infelizmente, acompanha a grande maioria de nosso povo, visto que não fomos educados para empreender para gerar resultados que venham a manter confortável padrão de vida no futuro, mas sim educados e treinados para ter um bom emprego, porém, trabalhando uma vida inteira para pagar contas num ciclo nada virtuoso.


O cuidar do planejamento financeiro (ganhar>poupar>investir>gastar>doar) esta associado a diferentes aspectos de nossa convivência familiar e educação, ambientes que moldam o nosso caráter propiciando a formatação de hábitos bons ou ruins em função de crenças, suposições e preconceitos que se tornam nossas verdades.


Há uma frase atribuída a Albert Einstein sobre insanidade que diz > “Insanidade é fazer a mesma coisa repetidamente do jeito que sempre fez e esperar resultados diferentes.”


No livro Hábitos Atômicos[1] encontramos os seguintes conceitos:


Hábito> uma rotina ou prática executada regularmente; uma resposta automática para uma situação específica.


Atômico> uma quantidade extremamente pequena de uma coisa; a unidade irredutível de um sistema maior; a fonte de uma imensa energia ou poder.


Ao referirmos-nos ao título do presente artigo chamamos a atenção para o fato de que a maneira de como lidarmos com as mais diversas situações em nossa jornada, com altos e baixos, impactará em nossa qualidade de vida, no longo prazo, e está estreitamente ligado na qualidade de nossos hábitos quotidianos no presente, o que nos remete a refletirmos sobre a frase atribuída a Einstein.


Há diferentes razões que levam muitos a ignorarem sua situação financeira sem perceber que com pequenas atitudes poderiam obter excelentes resultados, ao introduzirem melhorias contínuas na criação de novos hábitos que, no longo prazo, se tornarão os juros compostos do autoaperfeiçoamento. A consistência dos resultados virá com o tempo e será necessário ter muita paciência.


Segundo James Clear (1), há três camadas ou níveis que envolvem mudanças comportamentais que contribuirão para o desenvolvimento de novos hábitos.


a) A mudança em seus resultados;

b) A mudança em seus processos;

c) A mudança em sua identidade.


A primeira camada é a mudança de seus resultados que se refere ao que você obtém ou o que quer alcançar, como por exemplo: perder peso, sair das dívidas, publicar um livro, vencer um campeonato.


A segunda camada é a mudança de seus processos, que se relaciona ao que você faz, como por exemplo> programar uma nova rotina na academia, organizar sua mesa para ter um melhor fluxo de trabalho, desenvolver uma prática de meditação.


A terceira camada refere-se à mudança de sua identidade que se relaciona ao que você acredita, direcionando em quem deseja se tornar.


A maioria das pessoas nem sequer considera a mudança de identidade quando quer aperfeiçoar algum aspecto (resultado ou processos). Elas apenas pensam: “Quero ser magro (resultado) e, se eu adotar esta dieta, serei magro.” Elas estabelecem metas e determinam as ações. Não mudam a maneira como olham para si mesmas nem percebem que sua antiga identidade é capaz de sabotar seus planos de mudança.


Há um conjunto de crenças e suposições que moldam o sistema, uma identidade por trás dos hábitos.


O comportamento incoerente com o “eu” não durará. Você pode desejar mais dinheiro, mas se sua identidade for de alguém que consome em vez de produzir, você continuará ser traído por gastos em vez de ganhar. Pode querer ser mais saudável, mas se continuar a priorizar o conforto à realização, será atraído para atividades relaxantes em vez de para o treinamento. É difícil mudar seus hábitos se não mudar as crenças subjacentes que levaram a seu comportamento passado. Você tem um novo objetivo e um novo plano, mas não mudou quem é.


Qualquer mudança em nossos hábitos tende se perenizar quando realizadas de dentro para fora.


Autor: Adenias Filho

Cofundador do BEM Financeiro - Desenvolvimento em Finanças. Formado em Administração de Empresas, Pós Graduado pela FGV-RJ, IBMEC em Finanças Corporativa e Amana-Key em Gestão Empresarial. Consultor Financeiro e Palestrante, responsável pelo escritório do BEM Financeiro no Rio de Janeiro.

Inspirado a partir do livro: Hábitos Atômicos - Pequenas Mudanças, Resultados Impressionantes. Autor: James Clear

[1] James Clear, Hábitos Atômicos (2019 - Alta Life Editora)

82 visualizações4 comentários

Posts recentes

Ver tudo